17/06/2018

Manual da shippagem, o que é shippar? + Problemas afins

Olá pessoas! Já fiz um manual do yaoi, então pensei, por que não fazer um manual da shippagem? Se estou amando essa nova fase criativa que estou tendo? Nada... A questão é que finalmente tenho um tempo mais pra mim e tô juntando todas as minhas ideias que tive nesses dois anos sem postar direito em um mês -isso é bem triste porque sei que daqui a pouco não vou ter tempo de novo, mas o que vale é a intenção, vamos aproveitar enquanto está tudo sob controle-. Enfim... Vamos ao post, por incrível que pareça ele não vai sair longo. Vamos clicar no leia mais? Bora.

Ship ou shipp? E que porra de termo é esse?
Mandando a real, é ship. Ship veio da palavra relationship, que significa relacionamento em inglês, então é ship, com apenas um p. Como o nome original sugere, ship é simplesmente um casal, qualquer casal, que você goste ou não, da ficção ou não. E porque as pessoas acham que a escrita é "shipp", com dois pês? É porque todas as palavras que são derivadas de ship possuem dois pês. Então seguem a lógica de que a palavra que originou também teria dois pês, pena que aqui não é português, é inglês. Quando a gente deriva palavras de outras no inglês, eles seguem algumas regras, no caso da palavra "ship", a regra é: Palavras com uma sílaba terminadas em consoante, vogal e consoante (o CVC), se duplica a última consoante e acrescenta o complemento.

"Mas Hari, ship não é navio em inglês?" Sim, exatamente, é a mesma escrita e até a mesma pronúncia, é por isso que é muito fácil vermos gringos brincando sobre alguns casais que gostam e do nada aparece um navio -em um vídeo, por exemplo-. Parece muito sem sentido pra gente, mas está explicado a partir de agora. E não xinguem o amiguinho quando ele escrever "shipp", com dois pês, não é legal. Quem quiser escrever ship escreve ship, quem quiser escrever shipp, escreve shipp e pronto.

Outros termos derivados
Shippar: Isso é um verbo e remete à prática de torcer pra um casal ficar junto ou achar os dois -ou três, vai saber né- bonitinhos.

Cannon Ship ou Conventional Couple: É aquele casal que geral sabe que ele fica junto porque o autor já deixou claro que eles estão juntos, ele já está ali pré-estabelecido na história, sacas? Se o autor explicitou que dois personagens estão, irão ou poderão ficar juntos, o ship é cannon. É por isso que muita gente comemora quando o ship vira cannon, como foi o caso do casal principal de Yuri on Ice -que geral achou que ia ser só uma insinuação, PÁ eles estão juntos há tempos, bebê. Alguns exemplos são: Percy Jackson e Annabeth Chase, Korra e Asami Sato, Nezumi e Shion, Rose Quartz e Greg Universe, Bonnie e Marceline...

Cult Ship ou Unconventional Couple: Casal que não é cannon, tudo que não é cannon é cult, esse termo não é muito usado, geralmente falam só ship mesmo e pronto, mas é sempre bom encher o post de conhecimento, se for ver mais lá na gringa, é mais comum falarem de "Fanon Ship", que é a mesma coisa. Mas pra ser fanon, um certa parcela dos fãs precisam shippar também, por exemplo: Dean e Castiel, Madoka e Homura, Percy Jackson e Nico di Angelo, Natsu e Lisanna Strauss...

Ghost Ship: Quando um ou mais dos personagens de um ship morreram no decorrer da uma história. Não vou dar exemplos porque seria spoiler e porque eu só conheço o [spoiler de Evangelion]Shinji e o Kaworu Nagisa[/spoiler].

Slash/Femslash: Casais homossexuais, sendo slash a versão masculina e femslash a feminina. Os termos são muuuuito antigos e surgiram com fanfics, até hoje eu só vejo esses termos em fanfics mesmo e só quem conhece é quem é old. O que parece é que o termo surgiu porque autores de fanfics utilizavam uma barra (/) para escrever os nomes dos personagens shippados na descrição das histórias e essa barra que em inglês chama-se "slash". Exemplos: Bakugou/Kirishima, Sakura/Ino... Hoje, a barra é bem estranha pra falar de ship, então a gente junta o nome e tá tudo certo.

Crackship: Uma relação incomum, não é só fanon, é realmente improvável pra porra, pode envolver qualquer tipo de personagem e qualquer fandom. É um negócio impossível level Jack Frost e Elsa, sabe? Crackship é muito usado em questão de crossovers -que é tipo duas obras ou fandons diferentes juntos-, mas pode ser usado quando os personagens em questão possuem poucas interações e coisas afins, como é o caso de Naruto e Kiba, por exemplo. É aquele ship que você fala e... "Quê?" E tem crackships que são bem famosos no fandom, como Phichit e Seung Lee, de Yuri on Ice.

OTP: Em inglês: One true paring, ao pé da letra é o único casal verdadeiro. O OTP é o seu casal favorito,  aquele casal que você torce mais do que os outros ships. Geralmente um casal que você dedique mais o seu tempo para discussão e/ou criação de conteúdo que o resto dos casais que você torce. Isso vai de cada pessoa e o OTP pode ser cannon ou não, cada pessoa tem o seu favorito. Pra mim, os OTPs são Yuuri com Viktor, Shiro com Keith e Shion com Nezumi. Se você for uma pessoa que nem eu, pode ter mais de um OTP, mas é raro dois OTPs numa mesma obra.

A variação do termo anterior é BROTP, uma relação de forte amizade e irmandade entre duas ou três pessoas, comumente. Mesmo que seu BROTP seja também pessoal, ele costuma ser mais geral, sabe? Por que é mais nítido que os dois personagens são muito parceiros e tals. O meu BROTP eterno é Alphonse e Edward Elric.

Shipper: A pessoa que shippa. Não necessariamente romanticamente, por exemplo, Ed e Al são BROTP e esse tempo não está nada relacionado à romanticidade, apenas à amizade. Então dizer que shippa duas pessoas não necessariamente você vê as duas pessoas como um casal, porém é bom especificar, pois quando falamos de shippar, quase sempre estamos falando de casal romântico. Por isso mesmo que existe o próximo termo.

Friendship: Literalmente amizade em inglês, é sinônimo de BROTP, mas menos usado. E, juntando com o termo anterior, nós temos friendshipper, que é aquela pessoa que apoia uma amizade, aquela que "friendshippa".

Algumas confusões com uns termos que nada têm a ver
Em 2014/2015, era muito mais comum shippers mulheres do que homens, então diziam que quem shippa era fangirl. WTF, não tem nada a ver, fangirl e fanboy são dois termos que são designados pras pessoas que são fãs malucas de tal coisa, defendem com unhas e dentes e tals -são dois termos pejorativos, vale dizer- e até hoje, por algum motivo, ainda há quem chame quem shippa de fangirl. Primeiro: Shippers atualmente não possuem mais maioria, encontramos muitos homens que shippam também. Segundo: O que tem a ver o cu com as calças? Não usem esse termo, sério.

Outra coisa: O ship é livre, não porque um casal é hétero ou gay que vão parar de shippar algo nada a ver, o nome disso é fanfic. Por causa dessa velha "troca", confundem fujoshi, yuriko e shipper, mds... Não tem nada a ver, ship é universal, fujoshi shippa yaoi e yuriko shippa yuri, é isso. Se eu quiser shippar hétero pode também. Contanto que não shippe umas coisas pedófilas ou erradas achando que tá tudo certo e que pode na vida real.

Vamos problematizar? Vamo.
Eu estava conversando com a Celly nesse post e pensei... Porra, eu deveria falar sobre o lado ruim da shippagem também, geral só fala do lado bom, que porra é essa? Enfim, sabemos que o ship é livre, certo? Afinal, shippar é totalmente instintivo, você só olha e shippa -claro, dependendo das interações dos personagens, mas não sempre-. Ou você pensou que queria shippar antes? Acho que não, né? O ship é instintivo, por isso que temos tantos ships diferentes, se o ship fosse lógico, não concorda que só casais cannon e semi-cannon seriam shippados?

Aí está toda a problemática do "shippar", o ship é instintivo, não escolhemos quem shippar -podemos mudar o ship, mas tal mudança não necessariamente é escolha-. Em outras palavras, o que você shippa revela sua personalidade e até idade mental! Por isso que a problematização de alguns casais é preciso. Por exemplo, alguém que é capaz de shippar uma relação fictícia claramente pedófila é a mesma pessoa capaz de shippar a amiga de 13 anos com o crush de 20 anos dela porque "amor não é escolha". Ok, amor não é escolha, mas quem garante que o rapaz de 20 anos não quer simplesmente se aproveitar dela porque sente atração por esse tipo de "novinha"? -até o termo é pedófilo, por favor-. É por essas e outras que pedofilia é crime, não é simplesmente um tabu social, é uma medida pra proteger crianças de pessoas que se aproveitam delas.

"Mas é só ficção!" Sabemos disso, mas uma pessoa que realmente sente nojo de pedofilia, não conseguiria shippar um casal assim nem na ficção, é isso que quero dizer. Nunca dissemos que é proibido shippar a pedofilia na ficção, mas é preciso pensar sobre que tipo de pessoa você é pelos casais que você shippa. Pode reparar em comentário problematizadores, nunca é "Esse ship é proibido" ou coisa assim, sempre um "como conseguem shippar isso?", justamente fazendo alusão a essa ideia, uma pessoa que realmente considera pedofilia super-errado, não conseguiria shippar.

E isso serve pra qualquer coisa, por exemplo, nunca vi problema com incesto, desde que a diferença de idade das duas pessoas esteja ok. Mas olha a diferença, eu não tenho irmãos e convivi desde os meus 15 anos com dois amigos irmãos que se insinuavam demais, nunca soube dizer se é errado ou não e ninguém chegou pra mim pra abrir minha mente quanto a isso, mas também o ÚNICO incesto que já shippei foi Rin e Yukio, além de não ter falado muito do casal por aí. Eu tenho consciência que outras pessoas podem achar isso um absurdo, então não fico forçando o ship na cara delas e nem influenciando outras pessoas a gostarem disso. É um defeito meu e reconheço.

Agora assim... Há uma polêmica no caso de mudar a sexualidade de um personagem pra shippar um determinado casal e... Bem, é algo a se pensar, é raro a sexualidade de um personagem ficar explícita em uma obra, mesmo que o personagem esteja com uma pessoa de tal gênero, não impede ele de ficar com outra pessoa de outro gênero. Por isso eu não gosto de anúncios sobre tal personagem ser gay ou hétero ou bi, simplesmente podem dar o foda-se e mostrar isso com os próprios acontecimentos da obra, não? E se o ship é instintivo e você acabar shippando dois personagens que não conseguiriam ficar juntos devido à sexualidade?

No Amor Doce tem um personagem gay chamado Alexy, ele mesmo disse que é gay e gosta de um outro personagem chamado Kentin, que é hétero. Pra exemplificar mais, tenho uma personagem chamada Violette, que gosta do Alexy. Resumindo, os ships consistem em Alexy x Kentin e Alexy x Violette. Os dois nunca poderia acontecer, diante da sexualidade dos personagens em questão. Mas sinceramente mesmo? Foda-se. Provavelmente quem shippa Vio e Alexy já shippava instintivamente antes mesmo do Alexy dizer que é gay, qual o problema? O mesmo vale com o Kentin, e daí se ele é hétero no cannon? A pessoa então está proibida de achar os dois bonitinhos só por isso?

"Ai Hari, mas o Alexy é gay, seria invisibilizar a causa LGBT+ shippar ele com a Vio" Tá, eu sei que o motivo do ship é diferente. Mas assim como tem gente que shippa Alexy e Kentin fora do cannon, tem gente que shippa Alexy e Vio fora do cannon também. Fora do cannon pode acontecer qualquer coisa, em um universo paralelo, o Deku gosta de não ter poderes e sempre quis vender pão com seu pai All Might, qual é o problema? Então é assim? Mudar o ideal e sonho do personagem tá ok, mas fazem alvoroço por mudar sexualidade? É menos polêmico do que parece, a gente tem que ter bom senso e saber quando a pessoa realmente está invisibilizando a causa LGBT+ ou se ela tá só shippando porque achou os dois bonitinhos.

Outra coisa: Você realmente shippa na intenção de ver o casal em questão junto no cannon? Sério? Eu não, shippo porque acho que combinam, aí pesquiso fanfics e tá ok pra mim, pra quê ficar sofrendo e fazendo teorias se o casal é ou não cannon? Sim, é divertido pra caralho, façam suas teorias mesmo, mas o que digo é que não vai mudar muita coisa no que sentimos se o ship for cannon ou não, principalmente quando temos certeza que não. Por exemplo, alguém aí acreditou fielmente que o Naruto ia terminar com a Sakura ou com o Sasuke? Estava na cara que ia terminar com a Hinata, totalmente na cara. Mesmo que você não shippe com a Hinata, não tinha mistério nenhum, ia acabar assim.

Agora chega no que eu tava falando com a Celly, pessoas que fazem teorias e forçam ships pra outras pessoas. O lance das teorias é muito divertido, a gente compartilha sobre teorias que Kirishima e Bakugou vão ficar juntos, mas no fundo a gente sabe que não vai acontecer *chora no canto*. Se a gente sabe que não vai acontecer, não tem porque enchermos o saco de quem shippa outro casal com esse tipo de teoria, sacou? Na real, o grande problema disso é o ship war, é muito merda quando começam a brigar porque tal ship é provável ou qual é improvável.

Shippem gay, hétero ou lésbico, mas sem ship war. O ship war é o que ferra qualquer fandom. Só porque você shippa algum casal, não quer dizer que você precisa provar pra outra pessoa que shippa outro que o seu ship é o certo porque... Adivinha, nenhum ship é certo! Pode até ter ship cannon, mas não quer dizer que é o melhor. As pessoas não precisam ser fanáticas pelo ship e dizer "nossa, se não acabar meu ship junto, é super forçado e aleatório." Brigar por ficção é a pior coisa que você podem fazer agora.

Se na ficção tá ok, façam suas fanfics, certo? Hm... Não, bom senso é ótimo, sabe? Tem gente que até shippa um casal interessante, mas aí vai fazer uma fanfic e... Narra um romance abusivo adolescente... Adoron. De novo, não que esteja proibido, mas vale o questionamento, se você é uma pessoa capaz de criar uma história assim, o que mais você é capaz de fazer? A problematização não existe pra censurar esse tipo de coisa, ela existe pra abrir a mente das pessoas.

O post saiu longo? Talvez -q

2 comentários:

  1. http://diario-otome.blogspot.com/2018/06/manual-da-shippagem-o-que-e-shippar.html
    Ohayou! ^^ Sim, eu voltei à blogosfera, estou finalmente de férias e o seu blog e o da Hina-clone são os que vou comentar primeiro. Até já fiz um post novo no caixa de sapinhos e tudo (caso já não saiba a url, está aqui: http://caixinha-any.blogspot.com/). E eu queria comentar no post mais recente - até porque a origem dos animes e mangás são algo que eu não conhecia - mas como não tenho tempo para comentar em tudo, e este post me chamou a atenção, não resisti...

    Termos que acrescentaria ao post: OT3 e Multishipping - até porque eu sou definitivamente multishipper. Fóra isso, o post está perfeito, e até consegui aprender coisas novas! Por exemplo, a minha pessoa não fazia ideia de que para um cult ship ser fanon, tinha de ter um número razoável de gente que shippava. Oh, e também não sabia a explicação para ship ser escrito com um único p, agora tudo faz sentido na minha cabeça >.<

    Adorei particularmente a parte da problematização. Tocou provavelmente em todos os pontos importantes e ainda deixou claro que isso de problematizar ships não é no sentido de proibir, mas no sentido de levar a pessoa que tem certo ship problemático a repensar e fazer alguns paralelos com o que acharia disso na vida real. E quanto à questão da sexualidade das personagens, também acho que com ships não tem problema considerar isso, como você disse, ships são instintivos. Por mim shippers bem que podem tratar todas as personagens como sendo pansexuais e pronto. E ship wars são realmente um dos maiores problemas dos fandoms, nem vou falar de Voltron... embora uma pessoa possa sempre pegar nas pipocas e ficar a assistir ;)

    Já agora, vc tem acompanhado as temporadas mais recentes de voltron? Eu ainda não vi a 5ª nem 6ª... mas sei provavelmente os spoilers todos que havia para saber. Tumblr e amvs são o meu jornal de notícias xD E como você ama tanto Sheith, decidi partilhar um amv muito bonitinho, mas cuidado se não viu a última temporada porque tem spoilers: https://www.youtube.com/watch?v=T96HIa17ZM4

    E era isso. Jaa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MARAVILHOSA! Eu não vou ter férias, o que fica muro ruim pro desenvolvimento do blog e tals, tenho feito os posts e não dado atenção à blogosfera em geral, então o alcance diminuiu drasticamente, mas é melhor que não postar, né? Vou dar uma olhada no seu blog depois de fazer esse comentário -e ainda tenho que ler aquele post falando sobre a legalização da prostituição que me parece muito interessante-.

      Ah! Muito obrigado, OT3 eu não conhecia e fui até pesquisar no google, e miltishipping eu esqueci bonito, e olha que sou multishipper aaaaa vou adicioná-los assim que der. E sobre o Cult Ship, é tipo Sheith, sabe? -inclusive, vou chorar aqui, mas vou usar o espaço adequado pra isso-, é aquele ship que não vai ser cannon, mas tem muita gente que shippa. É o velho "shippável, não improvável", mas se não tiver tanta gente shippando, tipo Haggar e Allura, tem mais cara de crackship do que cult ship.

      Na verdade é isso que vejo da problematização, em geral, a gente nunca disse que tinha que proibir nada, Junjou Romantica pode continuar sendo abusivo de boas, estamos num país livre, a grande questão é: por que tem tantos fãs? É preciso pensar nos fatores que levam a pessoa gostar de tal coisa, sabe? Funciona tipo o preconceito: é simples, se a pessoa fez uma piada LGBTfóbica sem querer, ela não fez por mal, se outra pessoa falar que foi preconceituosa, a intenção é puramente fazer pensar, "por que fiz tal piada? Por que eu acho engraçado?". Nossa, viajei malz -qq

      Agora chegou... Voltron. Eu vi a quinta e a sexta temporada e não sei se indico pra você, o desenvolvimento da história até que foi boa, mas teve algumas coisas forçadas em relação a ship -principalmente envolvendo Lance-, não vou falar aqui porque não sei se quer saber dos spoilers que vou dar, se quiser aprofundar a conversa, só me manda um e-mail ou me chama no facebook. E esse desenvolvimento foi tão ??? que estragou o tesão dos três maiores ships da série, Tollura, Sheith e Klance. Eu tenho uma coisa com ships, vejo um casal e digo "esses aí tem alguma coisa, nem que sejam grandes amigos", foi assim com Viktuuri, é aquele instinto shipper. Eu senti isso com Sheith, eu sabia que eles tinham algo mais profundo do que a interação dos outros da série e... Realmente têm algo, a questão é que, por ser a mesma equipe de a Lenda de Korra e uma produção Netflix -geralmente inclusiva-, eu imaginei um cannon, de qualquer lado que fosse. Meu Sheith está morto, mas ainda sigo achando que eles são bonitinhos juntos...
      Agora vou ver esse AMV pra me alegrar

      Excluir

Vai comentar? Leia as regrinhas:

~ Pode abusar dos palavrões o quanto quiserem, mas ofensas serão excluídas. Caso queiram criticar, críticas construtivas por favor;
~ "Seguindo, segue de volta?" Sim, mas fale um pouco do post também;
~ Pedidos? Fiquem a vontade;
~ Lemos a todos os comentários e sempre os respondemos;
~ No fim do comentário deixe o link de seu blog, se gostarmos, seguimos com prazer .

Pode comentar agora!