13/01/2018

Jogo: Doki Doki Literature Club

Oi oi pessoas que amo! A tia Hari finalmente apareceu, como vocês estão? Como vão a vida de vocês? Vamos criar um diálogo aqui nesse início de post. Falando em diálogo, me mandem links de blogs ativos aí no comentários, estou precisando seguir novos blogs, uma caralhada de gente entrou em hiatus... Bem triste, parece até HxH -rçrçrç piada sem graça-, falando nisso ou não, tô respondendo todos os comentários aqui, tudo bem? Se lembrarem de algum post que comentaram e não viram resposta, podem ir lá ver! Então, me disseram no facebook pra eu jogar esse joguinho fofo e fazer uma review, como prometido, aqui está, sem spoiler, então leiam tranquilos.  

Sinopse + Personagens
O jogo aparenta ser mais uma visual novel normal com rotas onde você escolhe uma das meninas pra se aproximar e ela se apaixona por você. Você é convidado pela Sayori a entrar em um Clube de Literatura e você aceita. Lá você conhece as meninas das outras rotas. Vamos lá:

A Monika é uma pessoa bem agradável e gentil, é a líder do clube e faz tudo pra que o clube cresça e fique tudo bem, ela é aquele tipo de personagem que dá dicas e sempre ajuda o protagonista. Ela não é uma personagem de rota, por algum motivo que é descoberto depois.

A best girl do jogo é a Yuri, é essa do lado, ela é meio tímida e fechada, apaixonada por livros e literatura, é a vice-presidente do clube. Por mais que ela seja quieta, ela se exalta quando o assunto é algo que ela gosta, falando e falando como se realmente dominasse o assunto, aí depois pede desculpas, como se ela obrigasse a si mesmo a ficar quieta e calada. Na verdade ela pede desculpas por muita coisa. Como se ela tivesse uma espécie de "dupla personalidade", não é bem isso, mas vocês entenderam.

A Sayori é a nossa melhor amiga de infância. Não gostei muito dela porque ela é muito grudenta e carente -ai mds, vão me xingar tanto por isso...-, é insistente e sempre feliz, desajeitada, se atrasa sempre pra ir pra aula. Ela é a personagem que mais força fofura de todo o jogo, nossa... Insuportável...

A Natsuki é boazinha, meio egocêntrica e irritadiça, é o estereótipo de tsundere. Gosta de coisas fofas, mas não admite isso pra ninguém, mesmo que todo mundo saiba. É a mais jovem e é quem faz os cupcakes pra atrair o novo membro do clube, no caso você. Ela curte mangás assim como o protagonista e curte coisas simples e curtas.

Trilha sonora
Monika
Muito repetitiva e chata. Eu não contei direito, mas acho que fiquei uma hora escutando a mesma trilha sonora muito, mas muito repetitiva, além disso, a própria música tem aquela forçação de fofura que eu costumo falar para vocês que não gosto, sabe? No geral, a trilha sonora força um moe escroto tão irritante que teve uma hora que desliguei o som para não ouvir, sério... Depois de duas horas de jogo fica interessante, mas não deixou de ser repetitiva pra caralho. Isso foi bem irritante.

Gráficos
No geral, achei fofo demais, foi bom pra proposta do jogo, mas vocês sabem que não me agrada nem um pouco, é um fato pessoal meu. Não achei que os gráficos atrapalharam algo no jogo, pelo contrário, em certos personagens como a Yuri, principalmente, o traço deu a ela uma rosto gentil que foi surpreendente e necessário a partir da metade para o final do jogo. Isso ocorre também com a Sayori, o traço "moe" que ela tem ajudou a desenvolver alguns acontecimentos no game.

Jogabilidade e escolhas do jogo
Sayori
Não curti tanto por não ter muitas escolhas no jogo. Claro, as que tem são muito, MUITO importantes, maravilhosas, bem difíceis e em momentos certos, mas o que custa umas escolhas aleatórias? Poderia até ser aquelas que nem mudam o sentido história, mas tornaria a jogabilidade mais interessante. Bem, chega vários um momento do jogo em que o jogador tá só assistindo as coisas acontecerem e é muito chato, não jogo para isso! Jogo para interagir com os personagens do jogo e coisas afins, se fosse só assistir eu veria um anime.

Mas eu disse que as escolhas até que são legais, certo? Isso porque elas claramente deixam você pressionado contra a parede, como se aquilo fosse mudar o destino. De fato muda, são tão boas escolhas, por que não mais? Enfim, tirando o fato das escolhas, a jogabilidade é boa, sabe? Não tem ponto de ação, ticket, crédito ou sei lá, não somos obrigados a pagar nada. E da metade pro final do jogo a jogabilidade fica boa nível SUPREMO, o criador com certeza fez um bom uso do que ele tinha pra trabalhar como o Visual Novel, pois acontecem algumas coisas que não posso revelar porque vai ser spoiler, mas quem jogou sabe, a jogabilidade fica muito boa depois!

Minha opinião
Natsuki
Não acontece nada em aproximadamente uma hora e meia de jogo. São uma fucking hora e meia de jogo sem fazer nada, aturando chatice e forçação de moe. Falei com uma amiga que indicou esse jogo e ela disse que eu tinha mesmo que aturar a parte chata para começar a jogar a parte legal e sinceramente? Não é bom porque pode droppar a pessoa que joga, sabe? Se as personagens fossem divertidas dava para interagir melhor com elas e seria bem legal, essa parte não teria que ser necessariamente chata... Mas não, é só chatice, uma hora e meia de falação e forçação de moe, vocês sabem que odeio coisas forçadamente fofas, certo?

Se você for fraco psicologicamente, não jogue isso. Sério. Nada é o que parece ser. E se você mesmo assim quer jogar, não pesquisa nada sobre ele, só baixe e seja feliz. Qualquer coisa que você pesquisar vai ter spoiler, não pesquisa, garanto que você não vai se arrepender porque é bom, o final vale a pena. Tem na Steam em inglês, mas tem em português pra quem quiser é só dar uma rápida procurada no google que acha fácil -rápida, pelamor não vai caçar spoiler-. Falando em spoiler, chegou a área de spoiler que eu finalmente elogio o jogo, se você não jogou e tem interesse, não role pra baixo, o post acaba por aqui. Se você já jogou ou não tem interesse em jogar, tamo aí...

  • Área dos spoilers loucos, não digam que não avisei
CA-RA-LHO! Eu passei duas horas de jogo achando o maior saco, mas aí a Sayori desabafa com você sobre ter depressão, ela continuou chata, mas notei que a partir daí o jogo começava a ficar interessante. Basicamente ela me viu conversando com a Yuri, sentiu ciúmes, confessou seu amor e tem uma escolha que muitos consideram difícil, "eu te amo" ou friendzone. Nem pensei, odeio ela e não poderia mentir, friendzone. Ela não foi pra aula. Me preocupei. A Monika disse que a conversa de ontem tinha deixado ela com "nó na garganta" e corri pra buscá-la. Quando vi a cena do suicídio dela, fiquei estática olhando pra tela do pc. Fiquei realmente mal com aquilo, exatamente por ter presenciado cenas parecidas na minha vida, acho que não é certo colocar uma cena daquelas no jogo, mas funcionou bem, deu o impacto necessário.

Eu descrevi essa cena justamente pra expressar o quanto Doki Doki é impactante, depois do suicídio da Sayori ameniza um pouco porque aí a gente já espera qualquer coisa, o jogo começa a ficar bizarro e começa a ficar .exe... Nossa... As múmias daqui do blog sabem o quanto EU AMO .EXE, AMO MUITO! AMO CARALHAMENTE, amo o quanto o jogo parece te puxar pra dentro do jogo, como se fosse real mesmo. eu adoro o que o .exe faz com a gente, de ter um personagem manipulando tudo, de usar recursos de pastas e afins pra dar mensagens.

Basicamente, Doki Doki reinicia lá de quando o protagonista entra pro clube, mostrando de novo as mesmas cenas chatas das duas primeiras horas de jogo, mas dessa vez bem melhor, com uma certa tensão, um certo terror típico de jogos .exe, de dar aquelas bugadinhas e distorções no som. Mas uma coisa que muita gente disse e que não concordo é que Doki Doki é bem único nesse aspecto... Annn... Não, cara, se existe uma nomenclatura pra isso, então não é tão original, é apenas o primeiro a fazer sucesso. Uma coisa é certa, esse é um dos melhores jogos .exe pelo final. Mas tive que passar por duas horas insuportáveis pra merecer um dos melhores desenvolvimentos... Okay...

Então isso foi Doki Doki Literature Club, o pior jogo no início e o melhor no final, um tanto surpreendente -se você for esperto, nem surpreende tanto, mas...-, valeu a pena, apesar da bosta que foi o início. Espero que tenham gostado do post, até mais!

2 comentários:

  1. Anônimo1/19/2018

    Hari,
    Muito interessante seu blog. Postagens muito bem construidas.

    Beijos do tio Winter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadinha <3 Apesar de eu ter muita vergonha desse blog porque ele expõe toda a minha personalidade infantil e "otaca fedida"

      Excluir

Vai comentar? Leia as regrinhas:

~ Pode abusar dos palavrões o quanto quiserem, mas ofensas serão excluídas. Caso queiram criticar, críticas construtivas por favor;
~ "Seguindo, segue de volta?" Sim, mas fale um pouco do post também;
~ Pedidos? Fiquem a vontade;
~ Lemos a todos os comentários e sempre os respondemos;
~ No fim do comentário deixe o link de seu blog, se gostarmos, seguimos com prazer .

Pode comentar agora!

Layout feito por GNMH, editado por Hari M.