Web comics yaoi que ando a ler

20/07/2016 || || ||
Depois daquele post sobre AMOLAD, fiquei no hype pra fazer outro post com a temática de web comics, é um tipo de arte que sempre consumi e que nunca falei aqui no blog, agora que elas estão em alta -em alta sim, ultimamente web comics yaoi têm sido muito melhores que os mangás yaoi- não vejo problema nenhum em fazer mini-resenhas pra indicar algumas obras em andamento e que fazem parte do meu coraçãozinho. Adoraria falar sobre todas, mas como são muitas, vou dar prioridade para aquelas que vocês podem ver em português. Ah! Lembrando que web comics demoram pra atualizar, essa é a parte que a gente chora.

AMOLAD
É claro que essa comic deliciosa vai brilhar de novo, é uma das minhas favoritas, esperava o quê? Como eu disse no post da resenha, existem três mundos, Ithis (Terra de Cima), Nim (Terra de Baixo) e o nosso mundo. E em Ithis vivem os deuses, dentre os deuses existe Morte, que é muito insatisfeito com seu trabalho de ceifar almas e ele se sente atraído por Vida, o seu oposto. E assim a gente vai shippando. Essa obra é muito interessante por explorar um conceito de deuses que não estamos acostumados, são deuses que são vivos, individuais e que erram.

Porém o que chama a atenção é todo o mistério por volta disso, AMOLAD é muito misterioso e complexo a sua maneira, quando falam de Nim é sempre muito breve ou obscuro, como se tivesse muita treta pra ser resolvida e de fato, tem muita treta. A história trabalha muito com flash-backs, revelando o que aconteceu no passado dos dois protagonistas, porque o Morte gosta dele e tudo mais, a relação entre Vida e Morte são muito bem explorados, dando um certo ar melancólico e cada detalhe que é acrescentado os deixam ainda mais shippáveis. 

Tem muito personagem em AMOLAD, afinal é um universo inteiro para a autora explorar, então com certeza vai ter um personagem que você goste, isso se você conseguir não gostar de todos porque os personagens são muito carismáticos -sim, gosto de todos os personagens, até da Vaidade eu gosto-. Vale lembrar que a leitura dessa comic é oriental.
Português || Inglês || Patreon
Avaliae
O protagonista Gannet é gay assumido -põe assumido nisso, bicha ousada- e estuda numa escola católica no meio do nada então vocês devem imaginar o grau de homofobia que o cara passa. Certa manhã, ele acorda com muita dor nas costas e encontra um par de asas saindo de lá. Não, isso não é spoiler porque está implícito no nome da obra e sim, é bizarro. Como ele é gay, ele não tem muitas pessoas a quem confiar, então contou com seu vizinho, que coincidentemente gosta muito de aves e manja do assunto, esse vizinho é Bailey -shippou? Eu também- e o resto vocês leiam essa delícia. 

O que mais me prende em Avaliae é que dentro da própria obra, aborta questões LGBT+ importantes, mesmo que de maneira sutil, temos até uma personagem lésbica e outro que é trans, sem falar que há uma menção a bissexuais em um diálogo de Gannet e Bailey. Aí junta preconceito + esconder as asas + romance + putaria em uma mesma comic. Ah! Temos personagens negras também, fora que o Gannet e o Bailey fogem e muito do padrão de casal yaoi, temos outra obra com um potencial pra casal seke por aí. O próprio Gannet é muito macho e o corpo dele é coberto de sardas, o que seria um defeito horrível na sociedade atual e que acaba sendo um charme para o personagem.
Vocês estão cansados de saber que eu amo demais casais flex. Eu acho o Gannet muito ativo, ele tem iniciativa e sabe jogar charme ao mesmo tempo que Bailey é muito fofo e tímido, ele usa um óculos que o deixa tão fofo level master, mas nada é muito extremo, eles dois caminham em cima da linha que divide ativo e passivo, trazendo uma verossimilhança muito foda na obra. 
Português || Inglês || Patreon 
19 Days
Aqui temos uma comédia cotidiana fruto da amizade entre dois garotos que se conhecem desde a infância. Sim, a sinopse é essa. NÃO! Não pula não, tô falando sério, essa comic é boa. Não veja só pela simplicidade que foi apresentado. Esse provavelmente é uma das comics mais famosas da lista. 19 Days é bem comédia e não apresenta uma ordem padrão no início, é bem tranquilo e focado na sua risada -e que risada, sabem que não curto comédia, e eu consegui rir dessa comic-, enquanto lia, até me assustei um pouco porque não parecia haver nada de especial naquilo, era só enraçado. No princípio, nem mesmo sabemos os nomes deles.

Mas aí, quando se passam algumas páginas, vai tendo uns flash-backs legais e vai se desenrolando as coisas por aí, a gente percebe que não é só comédia, é o drama da família do protagonista, a beleza da amizade deles e, posteriormente, um romance com um toque melancólico que eu achei sensacional -mais um casal flex pra shippar-. Tem uma hora que parece que a cada página tem um elemento novo pra causar treta, sempre parece ter um problema, a maioria com soluções cômicas, mas algumas realmente sérias, deixando um dos protagonistas no hospital ou um aparente sequestro de um deles. 

A arte é estranha, mas é porque é uma comic chinesa, você vai acostumando os olhos com ela e nos últimos capítulos temos um progresso na arte que é de cair o queixo, não é fácil fazer comics coloridas como essa. Também é muito irritante dividir os capítulos em muito poucas páginas, mas não é como se fosse ruim de todo, é só abrir vários capítulos de uma vez e ler tudo.
Português || Inglês || Chinês
Technicolor London
Essa e a próxima foram indicações da Anilyan e essa não consegui achar em português -e nem adianta, verifiquei aqui e disseram que a autora não autorizou traduzir-. E sim, fui perguntar porque além de ser insegura com meu inglês, gosto de valorizar o trabalho dos tradutores. Mas enfim... A história se passa com Toby Landon e sua vida amorosa, uma história que prefiro não detalhar muito porque é mais um slice of life mesmo, apesar de ter umas coisas surpreendentes.

Já começa nas pegações, fiquei tipo "WHAT?" essas comics de hoje em dia já vai logo direto, no meu tempo não era assim não! Tá, Hari, e o foco? Pois é, foco! Nossos protagonistas Mark e Tody fazem parte de uma banda e é uma delícia ver como a autora explora esse cotidiano de músico, assim como é uma delícia como ela explora sutilmente os problemas sociais por meio dos personagens. Assim como Avaliae, temos personagens negros em papeis de destaque e também temos as questões LGBT+ sendo abordadas com tamanha leveza e naturalidade, além de que a beleza dos personagens está na singularidade de cada -como podem ver, eles têm um estilo próprio, e eu adorei esse estilo-.

Mark e Toby, como todos dessa lista, também possuem um potencial pra casal seke, mas vocês não estão entendendo mesmo, esse casal é o que mais se aproxima da realidade seke, tanto por eles mesmo quanto pela autora, e sim, até a página que estou -não terminei ainda- não tem o mínimo traço de uke ou seme em nenhum dos dois protagonistas, pelo menos não na personalidade e isso é um forte ponto da comic, os personagens -não só os protagonistas- são muito vivos, eles são pessoas de verdade.
Inglês (do começo) || Patreon
Always Raining Here
Essa eu já conhecia por meio de imagens aleatórias no meu facebook, mas quando eu peguei pra ler, não gostei muito porque basicamente começa com um cara querendo sexo com o outro, não me agradou e achei que fosse ser uma história abusiva -fujo de histórias assim-. Depois que a Any-chan me recomendou, eu confiei nela e fui ler. Não se deixem levar pelo começo, ok? Enfim... Assim como as outras anteriores, também é cotidiana, o diferencial dela é que aqui temos Carter, um desesperado pra arranjar uma boa noite de sexo e Adrian, que nega sempre.

Nessa história de rejeitar, é explorado um pouco da personalidade de Adrian, que é muito fofo e jamais iria aceitar um convite tão descarado, ele é o tipo de pessoa que não quer ter relacionamentos, e se tiver, precisa ser do jeito certo. O que chama a atenção mesmo é como os personagens são trabalhados. Carter aparentemente não tá nem aí com nada, ele só está desesperado, mas acaba se encantando com o jeito sério e responsável de Adrien e este, por sua vez, acaba mostrando mais de sua personalidade, seus hobbies, seus problemas de família e problemas com o teatro e essa "mudança" não é feita de jeito forçado como acontece nos yaois, é tudo lento e no seu tempo certo. -e sim, eu shippo flex até com eles ou então meu nome não é Hari-.
Português I || Português II || Inglês || Patreon
E pra quem quer ver mais web comics, confiram aqui os álbuns de uma página bem legal que traduz comics yaoi diwas pra vocês. Espero que tenham gostado do post, é isso!

4 comentários:

  1. Olá, Hari! ~

    Sabe que eu só conheci webcomics recentemente? Eu conheci uma que se chama Gata, Garota e é bem bacana, antes disso não conhecia esse conceito de webcomics, sabe? E com o seu post sobre AMOLAD que fui conhecer uma webcomic yaoi!

    Bom, AMOLAD ainda não comecei a ler mas já está aqui na lista e parece ser muito bom, como já comentei! <3

    Com relação a Avaliae, eu amei demais a sinopse e fiquei morrendo de vontade de ler! Deve ser aquelas histórias que nos surpreendem, e adorei o fato de ter bastante representatividade! Alou, tamo precisando disso! <3 (e o traço parece muito bonito)

    Já 19 Days parece ser daquelas bem levinhas para ler quando se quer relaxar e talz. Não sou muito fã de comédia normalmente, mas se até Hari curtiu, é porque deve ser bom. ahsuahsuahsuah

    Eu gostei muito do tom mais realista dos personagens e de toda a questão LGBT+ em Technicolor, mas o que mais gostei foi o tema da música. É outra que fiquei morrendo de vontade de ler! <3

    E essa última, Always Raining Here, eu também ficaria com um pé atrás por conta do início, ainda bem que você explanou e que a Any-chan recomendou, porque a gente confia! haha Só não curti muito a arte, mas a gente releva. xD

    Bye bye o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi lá! Eu conheço webcomics desde o ano passado, mas só esse ano que comecei uma disputa comigo mesma pra ler o máximo que eu puder. Que bom então que meus posts fazem essa magia com as pessoas e fico muito feliz que tenha mesmo pesquisado sobre AMOLAD, é uma comic pra se guardar no coração, sabe? Espero que leia <3

      Vou postar algo mais sobre representatividade, mas vai demorar um pouco -tipo, um mês-, preciso ainda fazer toda uma preparação, sabe?

      19 Days é muito surpreendente porque parece bem levinha no início e quando acontece as tretas você fica tipo "What?" também não sou muito fã de comédia, mas o que me marcou mesmo foi essa surpresa.

      Technicolor London é bem curiosa, é uma história que cativa muito, adoro todos os personagens, não tem como odiar, sério <3

      ARH já acabou, mas deixou um espaço no meu core, se vocÊ não gosta de esperar comics atualizarem, eu começaria por ela. A Any-chan é de confiança mesmo, eu não hesito em pesquisar sobre nada que ela recomenda porque temos gostos muito parecidos, ela sempre recomenda coisas boas <3

      Excluir
  2. Respostas
    1. Na página "Fujoshis Anônimas" eu coloquei dois links para leitura na postagem

      Excluir

Vai comentar? Leia as regrinhas:

~ Pode abusar dos palavrões o quanto quiserem, mas ofensas serão excluídas. Caso queiram criticar, críticas construtivas por favor;
~ "Seguindo, segue de volta?" Sim, mas fale um pouco do post também;
~ Pedidos? Fiquem a vontade;
~ Lemos a todos os comentários e sempre os respondemos;
~ No fim do comentário deixe o link de seu blog, se gostarmos, seguimos com prazer .

Pode comentar agora!