Quando prometização yaoi (ou de qualquer gênero) tem um limite

17/07/2017 || || ||
Oi lá pessoas! Cá estou eu de novo falando sobre yaoi, acho que yaoi é quase minha vida, não é mesmo? Mais imerso ainda na minha vida é falar sobre problematizações, mas dessa vez diferente: Vou falar contra problematização. Comassim Hari? Sim, vocês sabem que sou fujoshi problematizadora com muito orgulho, vou até tatuar isso na testa. Mas queria dizer que os problematizadores de plantão estão passando dos limites e eu não aguento mais, é por isso que criei este post, mesmo sendo problematizadora, preciso falar quando isso alcança o limite, a ponto de atingir pessoas. Gente, vocês não sabem o quanto é sério, vamos ler aí, não é mesmo?

Estava eu de boas no facebook em um grupo de yaoi e afins, vocês sabem o quanto grupos assim são tóxicos e problemáticos, mas esse era o menos doente que encontrei por aí. Eis que vejo uma postagem bem fujoshit reclamando de problematizadores. É claro que eu fui lá comentar algo na deboísse, sem textão, sem cagação de regra, só falei que não é certo desmoralizar pessoas pela ideologia problematizadora que ela segue. Nooossa, caíram em cima de mim, disseram que eu era hipócrita porque as problemáticas "só estão vendo o yaoi de boa e os ploblematizadores vêm cagar regra". Tá, não deixam de ter razão, mas vamos analisar isso de forma mais crítica.

Existem fujoshis que incentivam a indústria a criar animes com estupro, pedofilia, abuso e tudo de errado. Mas quero deixar claro que a gente consome de animes aqui no Brasil com a internet e não vai porcentagem alguma para o Japão, ou seja, elas não influenciam em NADA na produção de animes assim -a não ser, é claro, que elas comprem produtos oficiais, mas sabemos que o brasileiro é pirata-. Ou seja, vendo o lado delas, realmente estão vendo um yaoi "de boas". Quer dizer, será mesmo? A partir do momento que você divulga, está influenciando outras pessoas a verem também, certo? Então se você divulga obras ditas "problemáticas" em posts e compartilhamentos públicos, está se responsabilizando pelas pessoas que verão aquilo. Em outras palavras, pode ser que uma pessoa com o pensamento não formado veja e ache bonitinho, não saiba que aquilo é errado na vida real -porque de fato, yaoi esconde muito as coisas erradas nos animes- e como cultura é influência... Olha só a cultura que se perpetua aqui no Brasil...

Vamos ver o outro lado, compartilhamos um Junjou Romantica da vida, aí veio um cara tipo "é errado por isso, por isso, por isso". Tá bom, cara... Sabemos que é errado, liberdade de expressão. É chato? Sim, pode ser, mas é liberdade de expressão, temos o direito de gostar de Junjou Romantica assim como você tem de criticar. Infelizmente, raramente acontece isso, o que ocorre mesmo é um "que anime de doente, quem gosta disso é doente ~insira textão aqui~". PAUSA! Tem dois erros aí: Uma banalização de transtornos psicológicos e... Quem é você pra chamar uma pessoa de doente? Você tá sendo preconceituoso também, sabia? Inserindo uma obra -que odeio, mas é uma obra- em um quadro de "doente", você está sendo preconceituoso com a obra, com neurodivergentes e com apreciadores da obra AO MESMO TEMPO! Então, problematizadores são chatos, sim!

Certo dia eu, a viciada em Yuri on Ice, compartilhei uma fanart Otayuri na facebook. Pra quem não sabe, é um casal alvo de alguns problematizadores porque o Otabek tem 18 anos e o Yurio tem 15 -agora eu acho que ele já completou 16-. Vieram me chamar no chat porque eu tava compartilhando pedofilia. Não, pera... Vocês sabem o que é pedofilia? Vamos explicar de acordo com a lei brasileira, ok? Pedofilia é, simplificadamente, uma pessoa com menos de 14 anos com um cara adulto. Segunda definição: Um adulto 7 anos mais velho que uma criança de 14 anos. Posso dar uma notícia? Otayuri não está em NENHUM requisito pra pedofilia, são dois adolescentes! "Ah, mas 15 anos é só um ano mais velho que 14". Tá, amore, mas o Yurio não completou 15 anos agora, ele já tá completando 16 -e olhe lá se já não completou-. Eles só tem 2 FUCKING ANOS DE DIFERENÇA, PORRA!

Vou até dar o meu exemplo, eu tenho 20 anos -nossa, o tempo passa rápido-, vai ser pedofilia agora se eu me apaixonar por alguém de 16/17? NÃO TEM LÓGICA! São poucos anos de diferença, mano! A diferença de maturidade é pouca, como vocês podem dizer que o Otabek é pedófilo porque ele tem 18 anos e o Yurio 15/16? O que vocês têm na cabeça, mano? Tem que problematizar Super Lovers e não Otayuri! O Otabek e o Yurio são dois adolescentes, como pode existir pedofilia com dois adolescentes? Porra, mano! A pessoa problematiza errado, aí fode!

Falando em shippar, o ship é algo abstrato, aposto que muito problematizador shippa casal problemático e nem sabe! Queria dizer algo: A gente não sai caçando as idades das pessoas antes de shippar, sabia? A gente só olha e shippa, como qualquer um? Onde quero chegar com isso? Ereri. "Não Hari, não creio", aham... Largue agora o seu troféu de problematizador porque o Eren tem 15 anos e sabe quantos anos tem o Rivaille? Pasmem, 30 fucking anos! Ah, mas ele tá conservado! Aposto que usa produtos Ivone, não é meixmo? Não vou mentir, shippo sim, mas procurem, podem procurar quando foi que eu compartilhei publicamente incentivando a shipparem Ereri. Eu sofro em silêncio, já falei por aqui que shippo Ereri em posts que convinham, falando dos meus OTPs e tals, mas e você? Tá bem com a sua consciência?

Uma coisa bem polêmica é fanfic. Tenho uma fanfic Ereri e tenho outra bem problemática Shizaya e estou aqui pra dizer: Fanfic, o nome já tá dizendo: Fan fic. Fic. É ficção. Vamos pegar o exemplo dos filmes, há filmes que tratam de morte, assassinato, vingança e drogas. Nada disso é certo. Mas é público. É tipo os animes, Junjou Romantica não é certo, mas é público. O que vocês não reparam é que nos créditos dos animes ou filmes têm tipo "É apenas ficcional, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência" e tem a classificação indicativa dizendo tudo de "errado" que o filme ou anime pode conter, o telespectador já sabe o que está por vim. Então vamos dar ainda mais especificidade nas nossas fanfics tipo "Isso aqui é ficcional, estupro não é legal", sei lá, avisem de alguma forma sobre isso. O Spirit até tem como avisar, mas o Nyah não tem, cabe a nós a responsabilidade sobre o que vamos escrever e colocar nas notas do autor. Podem fazer fanfics problemáticas sim, é um país livre! Mas precisamos avisar aos leitores e panfletar sobre a fanfic, que ela é errada por isso, por isso e por isso. Dá muito mais profissionalismo, até.

Ora terminar com chave de ouro, quero treta. Incesto, o assunto polêmico. Sinceramente nem sei e nem tenho moral pra xingar incesto. "Comassim Hari?" Não, nunca pratiquei incesto, explicando melhor: Moro com dois amigos, a gente divide as contas e tudo mais e eles são irmãos. Ok, pra mim tanto faz, mas passei a shippar quando descobri que um deles gosta -sim, romanticamente- do outro. Maaas vale lembrar que, além de não ser recíproco, os dois são adultos, um com 20 e o outro com 21, sabem muito bem o que fazem com suas vidas. A polêmica do incesto está mais ligada a questões de religião e pedofilia do que o incesto em si. Como explicar isso?

Como bem sabem -ou não-, a religião abomina o incesto e é por isso que a sociedade acha um tabu. Sinceramente, se as duas pessoas tiverem idades compatíveis, eu sinceramente não acho tão errado, por mais que seja estranho. Até porque, parafraseando o meu amigo incestuoso, ninguém escolhe quem ama, sabe? Você pode até se controlar para não fazer besteira, mas você continua amando. O fato de serem irmãos, primos, ou sei lá não vai anular o fato de ter nascido, daquela relação familiar, um sentimento mais romântico. A questão está: Raramente esse amor vai ser correspondido, então o que fica é: Sem forçação de barra, a pessoa não é obrigada a gostar de você da mesma forma que você. É uma pena que as obras não retratam assim e vão logo pro estupro.

Nota: Não estou falando de Super Lovers, aquilo é tenso. Quando a diferença de idade é grande como em casos "pai e filha" "tia e sobrinho", não entra numa problematização de incesto e sim de pedofilia. E mesmo que não seja, quem me garante que a pessoa não abusa da autoridade que tem para fazer o que quiser com a outra pessoa? Isso é abuso, minha gente! Como citei, isso não é só para yaoi, tem muitos yuris e ecchis que têm essa temática incestuosa e pedófila, acima de tudo. O problema da pedofilia é justamente o abuso de autoridade, a pessoa mais nova não tem ainda uma mentalidade 100% para dizer seus desejos sem ser influenciada -ora, se tem gente com 18 anos não sabendo o que quer da vida, imagine uma criança-.

Depois de muita problematização e desproblematização, encerro esse post com a mensagem do "bom senso": Problematizem sim! Mas tenham bom senso, existem problematizações desnecessárias que podem até estar certas, mas também podem ser exageradas. Então cuidado, ok? Beijo na bunda de vocês, até próxima semana <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai comentar? Leia as regrinhas:

~ Pode abusar dos palavrões o quanto quiserem, mas ofensas serão excluídas. Caso queiram criticar, críticas construtivas por favor;
~ "Seguindo, segue de volta?" Sim, mas fale um pouco do post também;
~ Pedidos? Fiquem a vontade;
~ Lemos a todos os comentários e sempre os respondemos;
~ No fim do comentário deixe o link de seu blog, se gostarmos, seguimos com prazer .

Pode comentar agora!