Lenda Japonesa: Yuki-Onna, o Espírito da Neve

03/12/2015 || || ||
Oi galera da bem e do mal! Foi tarde, mas o post saiu! Bem, eu ia postar isso ontem, mas adivinha na sortuda da Hari: Faltou energia! Aeee! Tem coisa melhor? A sorte é que o próprio painel do blog salva todo automaticamente ou eu teria perdido tudo. Hoje o post é meio diferente e talvez até desinteressante, mas eu queria postar porque gosto de Yuki-onnas. Ele ficou grande só por causa da lenda, lendas não se resumem, não se muda, então eu copiei do jeito que achei e vamos nós -q


Yuki-Onna significa, literalmente, Mulher da Neve e o espírito de uma mulher que morreu numa tempestade de neve. Ela aparece no corpo de uma mulher extremamente bonita, pele pálida, longos cabelos negros e lábios vermelhos. Apesar de sua imensa beleza, os seus olhos são capazes de levar terror aos mortais.

Conta-se que ela flutua sobre a neve, deixando um rastro de neblina ou mesmo neve, atrás de si. Em algumas histórias, não possui pés -característica comum nos fantasmas japoneses-. Apesar do seu aspecto belo e sereno, ela pode ter comportamento cruel, matando sem piedade homens inocentes nas tempestades de neve.

Em algumas histórias ela aparece aos viajantes que ficam presos em tempestades de neve, e usa seu hálito gelado para transformá-los em estátuas de neve. Noutras ela faz eles perderem-se na tempestade para que morram congelados. Existem ainda histórias em que este youkai -literalmente demônio, espírito ou monstro- invade as casas das pessoas chegando a matar famílias inteiras enquanto dormem.
Também existem algumas variações de lendas que mostram o seu lado “humano”. Nestas a Yuki-onna apaixona-se, casa e constrói uma família. Mas a história de amor transforma-se em drama e acaba com o desaparecimento dela num dia de tempestade, provavelmente quando o chamamento do seu mundo se torna mais forte.

Ambos ficaram muito preocupados devido ao vento e à neve que podia congelá-los. Eles andaram na floresta às cegas no meio da tempestade congelante, que os castigava. Mas, felizmente, conseguiram avistar uma cabana através da nevasca.

A cabana, que ficava no alto de uma montanha, era pequena e estava abandonada. Estranhamente não havia lareira e nada com que pudessem fazer uma fogueira. Contudo, estavam conformados, pois aquela casa iria servir-lhes de abrigo apenas por aquela noite ou, pelo menos, até que a tempestade cessasse.

Eles deitaram-se para descansar. O velho pai caiu num sono profundo logo após deitar-se, mas o jovem Minokichi permaneceu acordado, ouvindo o vento que assobiava através das velhas tábuas soltas da cabana, que balançava e rangia com a tempestade. Porém, apesar do frio e dos barulhos assustadores, ele foi vencido pelo cansaço e conseguiu adormecer.

De repente, Minokichi foi acordado após sentir a neve cair sobre o seu rosto. Quando abriu os olhos viu que a porta da cabana, que ele e seu pai tinham selado para evitar que o vento frio e a neve invadissem a pequena cabana. Foi então que ele avistou uma estranha figura em pé sob o luar. Era uma bela mulher trajada num esvoaçante kimono branco.

A mulher estava debruçada sobre o seu pai, que estranhamente continuava a dormir enquanto ela inspirava e expirava sobre ele. A sua respiração era como uma fumaça branca e brilhante. Momentos depois, ela virou-se para Minokichi e inclinou-se sobre ele, que, apavorado, tentou gritar, mas descobriu que não conseguia emitir um único som.

A mulher, de pele pálida, curvou-se lentamente sobre ele, parando somente quando as suas faces quase se tocavam. Ela era extremamente bonita, mas os seus olhos possuíam uma cor estranha, semelhante a um amarelo dourado, que brilhava a ponto de ofuscar a vista.

Minokichi estava apavorado. Depois de alguns instantes, a mulher virou-se até o ouvido do jovem e sussurrou: “Eu sou a Bruxa da Neve! Estava pronta para matar-te, mas reparei que és um jovem muito bonito e, por isso vou deixar-te viver. Porém há uma condição. Não podes contar a ninguém o que viste aqui. Caso o faças morrerás. Nunca te esqueças deste aviso.”

Dito isto, a mulher flutuou até a porta, acabando por desaparecer, deixando atrás de si um brilhante rasto sobre a neve.

Assim que ela desapareceu, Minokichi levantou-se e correu até a porta, de onde ele olhou na tentativa de vê-la, mas ela estava longe de ser avistada, ainda mais com a tempestade de neve, que continuava forte e começava a invadir a velha cabana através da porta aberta.

O jovem, que parecia estar em transe, recuperou a consciência e fechou a porta, fixando os seus pensamentos no que a Bruxa da Neve lhe tinha dito. Porém, ele começou a questionar-se sobre o ocorrido, ponderando sobre o que presenciou pudesse ter sido um mero sonho. “Talvez a Bruxa da Neve seja um fruto de minha imaginação”, pensou Minokichi.

Após esses pensamentos reconfortantes, caminhou em direção ao seu pai e chamou-o, mas o velho Mosaku não respondeu. O jovem tocou no rosto do pai e verificou que estava completamente gelado. O velho Mosaku havia morrido.
Ao amanhecer, a tempestade de neve havia cessado e o jovem viu-se obrigado à triste tarefa de arrastar o corpo congelado do seu pai até a vila. Ele ficou tão arrasado com a morte do pai que permaneceu doente por um longo tempo.

Contudo, as palavras da bruxa continuavam presentes na sua mente. Minokichi, temendo que a bruxa voltasse para matá-lo, manteve segredo sobre o ocorrido naquela noite. A polícia assumiu que o velho Mosaku morreu devido de frio e nunca mais lhe fez qualquer pergunta.

Tempos depois, após restabelecer a saúde, Minokichi voltou a caçar na floresta. De qualquer forma, ele tinha o dever de colocar comida em casa. Mas agora estava sozinho, sem a ajuda do seu falecido pai.

Mas ele ainda temia a Bruxa da Neve, por isso passou a voltar da floresta antes do anoitecer, sempre com os coelhos que caçava para a sua mãe cozinhar.

Um ano depois, no meio do Inverno, quando estava a caminho de casa, Minokichi conheceu uma jovem. Ela era alta e muito bonita. Enquanto caminhavam juntos em direção à vila, eles começaram a conversar. A jovem disse que seu nome era O-Yuki e que havia perdido os pais recentemente. Ela estava a caminho da casa de seu tio, onde esperava viver por um tempo até que pudesse encontrar emprego para poder sustentar-se.

Minokichi sentiu-se muito atraído pela estranha, porém bela, jovem, que por sua vez também pareceu atraída pelo rapaz. Então, por algumas semanas, eles passaram a encontrar-se no mesmo local em que se conheceram e acabaram por se apaixonar.

Certo dia, Minokichi perguntou se O-Yuki aceitaria jantar em sua casa para que ela pudesse conhecer a sua mãe. Depois de alguma hesitação, ela aceitou o convite. A mãe do jovem achou-a muito bonita e amável e pouco tempo depois eles se casaram e O-Yuki foi morar para casa do rapaz.

Logo após a morte da mãe de Minokichi, a sua esposa passou a engravidar consecutivamente. O casal teve muitos filhos. As crianças chamavam a atenção por serem muito bonitas e de pele clara como a neve.

As pessoas da vila achavam O-Yuki uma pessoa maravilhosa por natureza, diferente da maioria das aldeãs, que envelheciam mais cedo. Mas O-Yuki, mesmo depois de tornar-se mãe de dez filhos, parecia tão jovem como no dia em que chegara à aldeia.
Certa noite, depois das crianças terem ido dormir, O-Yuki estava costurando sob uma lamparina com armação de papel de arroz. Então Minokichi, que a observava com os olhos cheios de ternura, disse-lhe: “Ver-te assim, a costurar enquanto a luz ilumina teu rosto, fez-me lembrar de algo muito estranho que me aconteceu quando eu era um rapaz. Eu vi uma mulher tão linda e branca como estás agora. Na verdade, ela era muito parecida contigo.”

Sem levantar a cabeça ou tirar os olhos de sua costura, O-Yuki perguntou:

“Diz-me como ela era… Onde é que a viste?”

Minokichi contou-lhe sobre a terrível noite na velha cabana abandonada. Também contou os detalhes sobre a mulher branca sussurrando no seu ouvido e sobre a morte silenciosa de seu pai. Depois ele disse-lhe: “ Eu não sei se foi um sonho, mas essa foi a única vez que vi um ser tão bonito como tu. Porém, é claro que ela não era um ser humano, e eu tive muito medo dela. Mesmo muito medo.”

Assim que o jovem terminou de contar a estanha história, O-Yuki jogou a costura ao chão, levantou-se, inclinou-se sobre ele e gritou: “Fui eu! Eu era a Yuki, eu sou a Yuki! Eu disse que te mataria que contasses isso a alguém. Mas, por causa daquelas crianças que estão dormir,não te matarei neste momento. E de agora em diante é melhor tomares muito, mas muito cuidado com eles, pois se alguma vez, por qualquer motivo ou razão, os maltratares, eu irei tratar-te como realmente mereces!”

Mesmo quando gritava, a sua voz era frágil e fina, como o choro do vento. E logo após dizer-lhe aquelas tristes palavras, ela derreteu-se numa névoa branca e cintilante, que evaporou por entre o telhado.

Desde então, Yuki-Onna nunca mais foi vista, pois Minokichi sempre foi um pai dedicado e extremamente amável para com os seus dez filhos.

Grande não? Não lembro onde achei essa lenda, tenho essa postagem nos rascunhos há milênios e nada de postar, é a vida, né? Eu só pude lembrar desses quatro personagens de anime inspirados em Yuki-onnas, eu até colocaria mais e tals, mas a memória falhou comigo... Na ordem são: Shirayuki Mizore -Rosario to Vampire-, Ghostrick Yuki-Onna -Yu Gi Oh!- Sode no Shirayuki -Bleach- e Froslass -Pokémon-. Pelamor, desculpem os erros na digitação, estou escrevendo o resto dessa bagaça no frenético aqui -q 

6 comentários:

  1. Yo,Hari!

    Eu tenho um livro de contos de fadas que fala de uma Yuki-onna do tipo do segundo caso que você falou-que casa, constrói família, mas no início da primavera desaparece em uma poça d'água. Desde Fatal Frame sempre achei histórias de fantasmas japoneses muito interessantes. Sabia que Samara Morgan daquele filme "O Chamado" é de origem japonesa? Pois é, ela veio de um livro chamado "The Ring".

    Bom, é isso!!!! Excelente post, amo posts que falam sobre coisas sobrenaturais, mesmo que eu tenha pesadelos depois :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi oi! Nossa, tipo um conto? Isso com certeza é interessante, a lenda é mesmo daquelas que tem como estar em um livro, eu gosto dele. Ah sim, sabia disso, aliás há muitos filmes ou até séries que fazem referência a muito contos e lendas japonesas, a tal Samara é só mais uma
      Obrigada, eu também amo posts assim, estou tentando trazer mais deles pra cá, mesmo que seja complicado

      Excluir
  2. YOOOOO HARI \O/ Belezura!?

    Geeennnttteeee que bagulho tenso esse! Pô, até mesmo quando a mulher se apaixona acaba dando merda Ç.Ç E eu pensava que quando ela arrumasse um macho alfa ela viveria feliz para sempre com a sua família Ç.Ç.....................E nem vou mencionar na desgraça do rapaz! Pô perde o pai, perde a mãe, se casa e descobre que a mulher foi quem matou o pai, ela acaba ameaçando mais uma vez o homem e depois desaparece! (e eu pensava que o Tomoya de Clannad tivesse sofrido o bastante!).

    Enfim, a lenda é bem bacana! Nem sabia que existia um "espírito / demônio" da neve! Eu de início pensei que fosse ser algo mais macabro, mas ainda assim imaginar se encontrar com uma criatura dessas não é lá tão agradável! Aliás, ainda bem não temos neve por aqui! u.u

    Enfim, vou ficando por aqui

    Kiss

    P.s: DEZ FILHOS! Gente, esse povo curtia brincar de hentai :v

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, essas lendas nunca se cansam de fazer o protagonista ou seja lá quem seja fazer ou sofrer de alguma merda. E sim, esse cara com certeza deve ter feito muita coisa errada na vida pra acontecer um bagulho sinistro desse com ele e tals.
      Sim, aparece em inúmeros animes, os personagens que usei pra ilustrar são só alguns, creio que tem muito mais, não só em animes, como em jogos e mangás também. Não, por mais que eu gostaria de trazer algo pra fazer vocês passarem medo por uma semana, decidi que não seria uma ideia tão boa assim, tem uma grande parte dos meus leitores que curtem uma pegada mais "cauai deus", mas se esse tipo de post não afetar os posts normais, eu posto com muito prazer, mas por agora não.

      SIM! DEZ FILHOS! ESSE PESSOAL ERA GZUIZ

      Excluir
  3. Esse espirito aparece praticamente em todos os animes que envolvem yõkais e coisas do tipo, é bem comum mesmo, até porque é uma lenda muito popular mesmo para eles lá. Mas eu não conhecia a história dela, é bem legal, gostei!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, muito popular, não só pra eles, eu já vi um jogo americano que tinha um espírito parecido com uma Yuki-onna -estadunidenses sempre criativos-, infelizmente não lembrei o nome do jogo pra colocar no post ;-;
      Eu já conhecia antes de fazer o post, mas não tão profundamente

      Excluir

Vai comentar? Leia as regrinhas:

~ Pode abusar dos palavrões o quanto quiserem, mas ofensas serão excluídas. Caso queiram criticar, críticas construtivas por favor;
~ "Seguindo, segue de volta?" Sim, mas fale um pouco do post também;
~ Pedidos? Fiquem a vontade;
~ Lemos a todos os comentários e sempre os respondemos;
~ No fim do comentário deixe o link de seu blog, se gostarmos, seguimos com prazer .

Pode comentar agora!