Motivos para eu e a matemática não sermos almas gêmeas

08/07/2015 || || ||
Yo yo minna-san! Vamos dizer que hoje estou bolada. Sei lá, mas eu estava aqui filosofando sobre o que eu usei de "cateto oposto sobre adjacente" desde que eu comecei a faculdade, ou seja, não usei em nada. De fato, não usamos isso para as nossas vidas e isso já está claro. Esse post é mais como um desabafo, que talvez vocês possam se identificar -ou não- comigo. E por que eu resolvi mostrar minha revolta logo agora que nunca mais vou ver esse troço? Simplesmente não sei, apenas bateu raiva só agora, então me aturem -qq

Não é novidade nenhuma que quase toda a população brasileira odeia matemática com todas as forças, mas aqui pergunto: Por quê? Geralmente o que escutamos é que as pessoas não entendem o que significa tanta letra em um emaranhado de números. Serei sincera com vocês, eu sempre me dei bem em matemática! Vou dizer meu segredo e o grande erro de suas vida: Na época fácil da matemática, ninguém se importava em ser o melhor, e sim em tirar a média pra passar. Como diziam nossos professores, a matemática é cumulativa, e é verdade. Os quatro pontos que faltavam a cada prova são os quatro pontos que você precisa pra entender o negócio party hard.

Sempre fui uma aluna nota 10 -literalmente- no fundamental, por isso que eu entendia a matemática que ninguém entende. Modéstia parte, na minha sala costumavam dizer que eu era um computador ambulante, mas quer saber? Eu não gosto de matemática como parece. A matemática, pelo menos a parte avançada, é um negócio inútil que te obrigam a aprender para conseguir um emprego decente. Ai ai, o capitalismo! 

Antes de começar a escrever essa postagem, eu dei uma pesquisada e vi que o Brasil ocupa uma das últimas posições do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes -Pisa é a sigla em inglês- em matemática. Descobri ainda que o nosso currículo escolar em matemática é mais extenso que o necessário, ou seja, exatamente o que eu falei, "aprendemos" muita coisa em pleno ensino médio que não vão mudar nada em nossas vidas. 

Também percebi que a diferença entre as notas mínimas e máximas da prova de matemática do Enem é absurdo, é muito grande essa diferença. Minha interpretação para isso é que, como nos é mostrado mais que o necessário, é normal que, ou fica muito difícil de acompanhar, ou nos tornamos verdadeiros gênios da matemática. E para provar que isso é mais ruim do que bom, segundo dados da Prova Brasil, apenas 12% dos adolescentes terminam o ensino fundamental na rede pública sabendo o esperado para aquela idade em matemática. Sim, ainda nos perguntam porque não sabemos. 

Isso tudo, fora o puta incentivo que recebemos, não é mesmo? Quando o aluno tira uma nota quatro em matemática, ou pais falam algo como "Eita filhão, na sua época eu também era ruim em matemática, essa coisa de louco...", agora vai testar o mesmo se fosse uma prova de literatura: "Como assim filho? É literatura, cara!". Eu, quando ainda cursava o ensino médio, me diziam o quanto eu era anormal por tirar as melhores notas em matemática. Me pergunto: Como assim, sociedade? É errado uma pessoa fechar uma prova de matemática? 

Agora eu tenho a resposta, não era errado, mas é muito sem nexo estudar a minha vida toda pra uma coisa que não vai aumentar em nada depois que eu passar no vestibular -a não ser que eu faça algo ligado a matemática, que não foi o caso-. Foi perca de tempo...

Obrigada pra você que leu até aqui, não estou desestimulando você do ensino médio a parar de estudar matemática, afinal, você ainda precisa passar no Enem, não é? Mas se você já está no nível superior e não faz arquitetura ou qualquer coisa assim, diz aí, vai dizer que estou errada?

4 comentários:

  1. Olá Hari! Há quanto tempo -q (a bisha aqui não comenta no blog de ninguém ultimamente, a preguiça me dá chineladas).
    Ah, a matemática. Particularmente, gosto muito dessa matéria. É uma grande loucura totalmente interessante de se estudar, sabe? Acho sensacional, apesar de que eu seja um tanto quanto ruim, por culpa dos colégios de bosta nos quais estudei nos últimos anos -q Tenho que concordar que alguns assuntos tratados nas aulas não terão real utilidade em nossas vidas, algumas coisas só estão lá para talvez quase nada realmente útil.
    É, é isso -q Agora tenho que ir. Necessito dormir urgentemente asdfgjshkdhl.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mds, Nyu, você existe? Reviveu dos pampas desérticos acrianos de Curitiba -qq
      Eu não, sempre fui muito boa em cálculo, mas eu não vejo utilidade, tudo que pra mim é inútil, acho ridículo e fico meio que "porque eu estou aprendendo essa droga?". As coisas mais úteis, tipo função afim, proporcionalidade eu até acho legal porque são coisas que não paramos de usar, mas eu te pergunto: Quando foi que você usou "f(x) = a + bCOS (cx + d)"? Né? Ridículo isso...

      Excluir
  2. Yo Hari!
    Cara, admito que eu não sou das melhores alunas em matemática, mas o único problema grave mesmo que eu tive com ela foi numa bimestral que eu fiquei. P.S: O problema só foi pior porque meu pai é prof de matemática, mas mesmo em bimestral, ele não botou pressão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. WOW! Que bom que meu pai não era professor de matemática, pelo contrário, ele não se dava bem. Na minha família, ninguém se deu muito bem no ensino médio... Mas então que bom que já passou -eu espero- por essa situação

      Excluir

Vai comentar? Leia as regrinhas:

~ Pode abusar dos palavrões o quanto quiserem, mas ofensas serão excluídas. Caso queiram criticar, críticas construtivas por favor;
~ "Seguindo, segue de volta?" Sim, mas fale um pouco do post também;
~ Pedidos? Fiquem a vontade;
~ Lemos a todos os comentários e sempre os respondemos;
~ No fim do comentário deixe o link de seu blog, se gostarmos, seguimos com prazer .

Pode comentar agora!